Traduza para outra Lingua!

domingo, 30 de agosto de 2020

ABRIR OS OLHOS PARA A RAZÃO

Texto de Antonio Carlos Popinhaki

Quando eu era ainda um Bispo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, lá pelo ano de 2005, escutei da boca de um missionário retornado da minha antiga Ala Curitibanos a seguinte frase: "Todos os ex-bispos que eu conheci, acabaram se afastando da Igreja". Naquele momento não me preocupei, pois o "meu testemunho" quanto ao mormonismo me parecia inabalável.

Os anos passaram, depois que entreguei o meu cargo de Bispo para o meu sucessor, comecei a ter dúvidas quanto à Igreja em si e seus ensinamentos. Grande parte dessas dúvidas provinha da internet, um campo riquíssimo de informações que estava começando a fazer o trabalho de proselitismo para a oposição da Igreja Mórmon.

As informações contidas na rede mundial de computadores iam de encontro com as que eu tinha como membro, iam de encontro com os ensinamentos dos livros e manuais impressos pela própria instituição religiosa.

Percebi que naqueles anos uma grande multidão de pessoas que permaneceram "firmes e fortes", com "seus testemunhos" no mormonismo, simplesmente, "abriu os olhos" e abandonou a seita. Aconteceu em todos os lugares do mundo. Começaram a aparecer nas redes sociais grupos de pessoas que se intitularam "ex-Mórmons". 

Isso ajudou outros a saírem também do "domo" da opressão e da enganação doutrinária. Doutrinas como por exemplo, guardar o "Dia do Senhor", não tinham mais nenhum sentido para os que pularam fora. Tomar um simples refrigerante, como "Coca-Cola", foi prazeroso e não mais uma espécie de pecado nas mentes daqueles que viveram na opressão doutrinária, da mesma forma aconteceu com o uso do café e das bebidas alcoólicas.

Ao longo dos anos, dos últimos anos, o mormonismo se firmou mais como um grande negócio e menos como uma religião. Escândalos como os da Igreja Mórmon Fundamentalista de Utah contribuíram para que mais pessoas pesquisassem a origem desse movimento, levando à conclusão de que tudo não passava de um engano, uma fraude, um embuste.

Outros escândalos surgiram: pedofilia, abusos sexuais, emprego de dinheiro de dízimos em grandes empreendimentos como fazendas, hotéis, shopping centers foram noticiados pelas grandes mídias e contribuíram para o enfraquecimento da fé de muitos, levando-os à razoabilidade.

As pessoas, membros e não membros, Mórmons e ex-Mórmons abriram seus olhos para a razão. Aparentemente, os missionários começaram a batizar apenas ignorantes e pessoas desprovidas de certa cognição investigativa. Lá dentro do mormonismo, permaneceram os extremamente alienados e os que estão naquele ambiente por pura conveniência, principalmente salarial.