Traduza para outra Lingua!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

QUE CONSELHO DISCIPLINAR CURIOSO!



Uma vez fui convidado a participar de um conselho disciplinar na minha estaca, que teve um desfecho muito estranho, até mesmo para mim que estava acostumado a ver todo tipo de bizarrices nesses tribunais. Eu na época era bispo e freqüentemente me convidavam para compor o conselho. Eu costumava me sentir bem por acreditar que aquele tribunal nos dava mesmo uma boa oportunidade de ajudar alguém que tivesse caído em transgressão.
Eu sempre procurei ver o lado do transgressor e costumava considerar os fatores sociais que contribuíam para tal situação, no intuito de ajudá-lo a superar a situação.
Um conselho disciplinar é formado pela presidência da estaca e mais doze sumo conselheiros, conforme Doutrina e Convênios seção 102, sendo que um sumo sacerdote é convidado quando o sumo conselho da estaca não estiver completo. E era por ai que eu entrava.
Uma Ação Disciplinar como são conhecidos esses tribunais da igreja SUD, tem três objetivos: ajudar o transgressor a se arrepender, proteger os inocentes e zelar pelo nome da igreja.
Pois bem, neste dia estávamos a analisar o caso de um rapaz que havia quebrado o sétimo mandamento.
Esse rapaz estava casado com uma jovem, porém, foi descoberto que eles haviam feito sexo antes do casamento. Caso considerado fácil, mas vejam o imbróglio:
Esse rapaz havia nascido na igreja no Estado tal. Onde após a missão quebrou o sétimo mandamento com uma moça da sua ala.
Foi submetido então a uma Ação Disciplinar, onde foi punido com a desassociação, que é um dos dois resultados possíveis em uma ação disciplinar a outra é a excomunhão. Na desassociação a pessoa é apenas privada de alguns privilégios de membro por um período de tempo, enquanto cumpre metas de bom comportamento impostas pelo Bispo.
Nesse tempo, ele manteve relações sexuais com outra moça e foi embora para outro estado. Lá, ele se afastou da igreja e segundo ele mesmo disse caiu na promiscuidade e ficou com várias mulheres inclusive com prostitutas. Depois de quatro anos veio parar na minha estaca (fez cara de anjo, de ex-missionário) e começou namorar uma jovem e bingo! Manteve relações sexuais com esta moça. E aí ele correu e casou-se com ela no civil e só então foi falar com o seu Bispo.
E por que foi falar com o bispo? Por que queria se casar no templo e estava com a ficha suja, não tinha recomendação para o templo. E foi “arrependido” procurar o bispo.
Bom, o conselho ouviu o rapaz e o seu bispo. Deliberou e fomos aos votos. E todos estavam convencidos de que ele estava arrependido e prova disso é que tinha até se casado, corrigindo o erro. O presidente da estaca e o bispo disseram que sentiram o espírito santo na entrevista com ele, antes do conselho e tinham certeza do arrependimento do rapaz.
Todos votaram pela absolvição até chegar em mim.
Daí eu fiz a seguinte pergunta: alguém se lembra dos três objetivos de estarmos aqui?  Ajudar a pessoa do transgressor a se arrepender; proteger os inocentes e zelar pelo santo nome da igreja? Vamos cumprir algum deles? Eu voto pela excomunhão para cumprirmos neste caso todas as três exigências. E não deveríamos premiá-lo com uma recomendação para o templo depois de tudo o que ele tinha feito.
Em seguida houve um silêncio...
E o presidente da estaca suspendeu o conselho e disse para orarmos e jejuarmos mais... Que depois marcaria outro.
Até aí tudo bem, só que uma semana depois eu fui a uma conferência do sacerdócio e o tal do irmão para a minha surpresa e espanto, foi anunciado como presidente do quórum da ala tal. E iria ser o regente na conferência.
Eu surpreso olhei para um membro do sumo conselho e disse: como? E ele me sussurrou: “nós fizemos a outra ação disciplinar”. E eu perguntei: quando? E ele: “no mesmo dia depois que você foi embora o presidente da estaca nos chamou de volta e nós votamos denovo”.
Para a minha frustração fui enganado pelo meu líder a quem eu mais admirava e tinha grande respeito. E para a frustração deles e do “espírito santo mórmon” que os orientara, dois mêses depois o rapaz traiu a esposa e foi embora da cidade deixando a moça aqui desolada.
E esse é um exemplo de como funcionam os tribunais presididos pelos “deuses em perspectiva”.


Fonte:

Sobre o autor dessa Postagem!
Entrei para a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias há 18 anos. Fui missionário de tempo integral por 2 anos, fui Pres. do Quórum de Élderes, Sumo-Conselheiro da Estaca, Pres. da Escola Dominical, Líder da Obra Missionária, Pres. dos Rapazes, Sou formado no Seminário e Instituto da Igreja. E por último servi por 4 anos como Bispo da minha Ala. Sou casado e selado no templo, tenho filhos. Tudo caminhava naturalmente na minha vida como Sud, até que os meus olhos começaram a se abrir e as falhas na doutrina, na história e no comportamento da Igreja não se sustentaram e me afastei.

6 comentários:

  1. Julgar esse tipo de caso e uma coisa muito delicada, primeiro porque ninguem tem "espirito"coisa nenhuma, segundo porque o transgressor passa por situacoes humilhantes so pra receber a recomendacao do Templo de volta e usar a lingerie do designer Joseph Smith. Se esse moco quis se arrepender decerto estava mesmo arrependido ou so estava sendo pressionado pela familia da moca. Nunca fui a favor desse negocio de confissao, a gente tem que se confessar a Deus porque se faz aos homens que sao imperfeitos logo o pecado cai na boca do povo. O transgressor quando nao recebe perdao e apoio da igreja faz mais coisa errada ainda pra se "vingar." Nao tem vontade de ir pra igreja, tem vergonha porque nao pode partilhar do sacramento. Ja que a igreja nao e verdadeira deveriam aceitar o pecador de volta e dar uma chance pra ele, ue, nao se trata de uma empresa mesmo? entao, deixasse o rapaz la mas sem dar promocao, sem subir ele de "cargo" ate passar no teste e ir sempre fazendo entrevista,lendo as escrituras, dando apoio e amor que e isso que todo ser humano merece.

    ResponderExcluir
  2. "Muitos serão chamados e poucos serão escolhidos"
    Gostei desta postagem aumentou meu testemunho da Igreja restaurada!
    Vemos que a Igreja é guiada por Deus, pois os líderes erraram em não ter averiguado sua opinião, que tenho certeza que você estava com o Espírito! E vimos que Deus te Usou e logo depois contrariaram a sua opinião que era inspirada e o cara logo depois foi pro mundo novamente!
    Mas é uma pena você ter se afastado amigo =/
    qualquer coisa meu msn: atilakevin@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Para mim ,você é só mais frustrado na vida que como não consegui o que queria fica fazendo estes blogs, só pra difamar a fé dos outros, uma fé que você já abraçou e que por algum desejo seu não cumprido ficou frustrado. Pq não faz um blog com campanhas filantrópicas ajudando o próximo, com causas humanitárias no lugar de gastar tempo com perseguição tola e vingativa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que sera que seria desejavel no mormonismo? Eis uma boa questao para debatermos. Nada que esteja relacionado com trabalho voluntario, desenbolsos monetarios seria interessante. Os cargos e os chamados tambem nao. Entao, meu leitor, nao sei te responder o que e que eu deveria desejar e nao consegui no mormonismo que me levou a sair de la a nao pela propria farsa doutrinaria. O blog eh muito bom em termos de ajudar as pessoas a saber de fato, o que e o mormonismo.De Des essa obra nao tem nada. O mormominismo e Tudo o que encontramos la eh fruto d mentes puramemte humanas.

      Excluir
  4. Meu irmao agradeço por compartilhar seu testemunho, deixo meu conselho de que volte ao convivio dos santos, imperfeicao vai encontrar sempre mas a doutrina é pura e perfeita. Só volte e continue a desfrutar a paz e alegria q sao maiores. Nunca deixe atitide de outros tirar seu foco na eternidade, deixe o julgamento com o Senhor. Abraço

    ResponderExcluir
  5. Esta história retrata muito bem o que é o mormonismo. Tenho lido aqui vários relatos de ex-membros, mas se eu tivesse que escolher uma única história, aquela que fosse mais a cara do mormonismo, que resumisse o que é de fato a Igreja Mormon, eu escolheria essa. Quando leio relatos como esses eu agradeço por não mais pertencer a essa organização

    ResponderExcluir