Traduza para outra Lingua!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

O CONSELHO DE AMOR!



Os assuntos a serem relatados aqui neste blog são fartos demais. É só abrir qualquer página, de resultados de pesquisa na Internet e os assuntos afloram.  É só escrever qualquer palavra relacionada à doutrina Mórmon que você pode ficar horas lendo. São relatos, testemunhos, desabafos em blogs e sites corporativos e pessoais.
Ainda tem as redes sociais, como o facebook e o Orkut, que estão minados de pessoas que, exaustivamente, debatem sobre o mormonismo. Não sei precisar qual lado está ganhando. Mas ouso afirmar que o mormonismo está cada vez mais em desvantagem. Faltam-lhe argumentos convincentes para convencimento dos descontentes com a doutrina.
Nessas minhas pesquisas, encontrei um relato de uma senhora. Ela diz que é atualmente, ex-membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Seu relato está referenciado abaixo, mas por precaução, preservarei qualquer indicio que possa de certa forma, constrangê-la com as lembranças ruins.

“Foram 23 anos da minha vida dedicados ao Evangelho Restaurado; diversos chamados e deveres, todos bem executados, para no final das contas acabar como excluída. Fui casada por 18 anos com um homem, pai dos meus primeiros 3 filhos (hoje casados e com suas famílias). Éramos de certa forma felizes dentro da igreja, membros fiéis, nunca atrasamos um mês de dízimos. Até o ponto de eu saber que meu esposo, o “Conselheiro no bispado”, regado por sua “glória”, caiu em contradição com tudo o que ele ensinava aos outros. Por meio de amigos de profissão, que me alertaram, descobri com meus olhos, que ele estava me traindo, e o pior, com outro homem. Eu nunca fui preconceituosa, tenho sobrinhos gays e eu amo eles! Mas fazer isso? Um homem que se dizia um “Santo”? Fazer isso com esposa e filhos? É correto? Enfim, nos separamos. As coisas ficaram abaixo de “panos quentes” e ele nem foi excomungado (o peso na consciência foi tão grande que ele se afastou e sumiu). Bom, eu continuava acreditando na “veracidade” do evangelho... Até quando eu comecei a frequentar a capela sozinha, e todos ficavam olhando de lado, sem perguntar, mas me comendo com os olhos... Há 2 anos eu fui para Chicago, fazer um curso de especialização na minha área de ensino (Biomedicina). Em um hospital, um instituto chamado Thompson Institute, conheci um enfermeiro, brasileiro de 21 anos. Casamos-nos, fiz uma fertilização artificial, e eu, com 54 anos fiquei grávida, e de gêmeos (da C... e do M...). Quando eu estava grávida, com mais ou menos 4 meses, tive a noticia de um AVC, que minha mãe havia sofrido. Fui para o Brasil, rapidamente, junto com o meu novo esposo. Para que? A causa da doença da minha mãe era um chamado do bispado da minha ex-ala, que foi para a casa da minha mãe para um “conselho do amor”. Fui acusada de “Adultério”! Bom, após isso, nunca mais pisei lá. Desfiz-me de materiais da Igreja, e até das minhas roupas do templo. Decepcionei-me demais. Hoje estou aposentada. Feliz com meus 5 filhos e meus dois bebês, que me alegram”.

Certamente, o evento descrito acima aconteceu por uma falha comum dos líderes da Igreja. Esse é um exemplo, de pessoas despreparadas que ocupam cargos como os de Bispos e Presidentes de Estacas na IJCSUD. Eu mesmo fui testemunha ocular de tudo isso em minha antiga Ala e Estaca. A começar pelos Bispos.
O que acontecia comumente era que não havia número suficiente de homens para que, efetivamente uma ala pudesse ser organizada. Então, valiam-se das jogadas de reorganização de área geográfica, mudavam os limites das unidades e com isso, valendo, se dos números de membros inativos, conseguiam organizar uma ala. Mas essa nova Ala, ainda não possuía um número de homens ativos, para que pudesse funcionar como uma Ala. Faltavam homens, inclusive para os cargos de Presidente de Quórum de Élderes, Presidente de Rapazes, Líder da Missão da Ala, entre outros cargos.
Agora vem o pior. Dos homens disponíveis, a maioria era de pessoas sem instrução. Muitos tinham uma instrução mínima e mal sabiam ler ou escrever. Outros mal sabiam se expressar. Eram pessoas humildes que se converteram ao mormonismo. Estavam ali porque foram convencidos e achavam que a Igreja era verdadeira. Mas na hora de escolher um novo Bispo? Quem chamar?
Todos sabem que a inspiração é falha. Não existe inspiração na IJCSUD. Então chamam qualquer um para o cargo de Bispo. Geralmente, esse novo líder quer fazer o trabalho bem feito, mas muitas vezes, não têm condições culturais, psíquicas e psicológicas para exercer um cargo dessa natureza. Ser um líder de um grupo de pessoas.
Então vem o Presidente de Estaca e diz: “Vocês não podem tolerar o pecado entre os irmãos e irmãs. A Ala não cresce se tiver pecado! Precisam fazer Conselhos Disciplinares e “excomungar” qualquer um que esteja cometendo pecado e que não queira se arrepender. Não importa se é um membro ativo ou não”.
O Bispo fica sem saber o que fazer e começa a despachar notificações de Conselhos Disciplinares. E acontece casos como esse que foi relatado por essa boa senhora.
Quanto o caso do seu esposo, conforme relatado, fica evidente o acovardamento da liderança em tratar de assuntos mais delicados com homens. Ainda mais se são dizimistas integrais e membros ativos, com cargos de liderança. Não tenho outra palavra no momento, a não ser “covardia” Lembrem-se, muitos líderes não tem condições de serem líderes. Se essa é a Igreja verdadeira de Deus, ele falha muito na escolha de seus representantes. Só escolhe despreparados. Os líderes despreparados servem unicamente, para trazerem mais sofrimento às pessoas, ao invés de tornar a vida delas melhor.

Referência para o texto:

Orkut: Comunidade: Ex Mórmons Brasil

3 comentários:

  1. Ernesto Che (ex presidente de estaca)24 de junho de 2011 15:34:00 BRT

    Olá meu caro, talvez já tenha ouvido a expressão " ele qualifica quem chama". só pode ser piada...

    É exatamente como relatas, história de líderes despreparados conheço aos montes. Eu mesmo já chamei muitos despreparados, pessoas boas, mas sem condição nenhuma de liderar um grupo onde a fofoca é corriqueira. Pessoas humildes que acabam sofrendo com os cargos que ocupam, eles são vítimas de um sistema totalmente desumano e cheio de falhas. O sistema manipulativo exercido pela igreja mormon é caso de policia! A propósito: Que tal se a Receita federal fizesse uma varredura nas contas da igreja e divulgasse tudo o q está omitido? Como sou feliz por ser um ex mormon!!!!!! por ter sido me libertado!!!! Foi como um divórcio, ficaram as mágoas, as lembranças boas de alguns poucos amigos, sim poucos, por ter vivivdo 30 anos na igreja, minha infancia e minha juventude parte da minha vida adulta, minhas amizades eram praticamente restritas com membros da igreja. Hoje sou uma pessoa que não tenho amigos. Seu blog me tem sido de grande valia. É muito triste ver as pessoas se afastando e ficarem atormentadas como se fossem elas as culpadas, elas as pecadoras. A ignorância é uma doença social e precisa ser fortemente combatida.

    Apenas pessoas esclarecidas conseguem viver feliz ao saírem da igreja e o teu trabalho é extremamente importante.

    ResponderExcluir
  2. Agradeço vosso comentário. Preparei uma postagem sobre a liderança da Igreja despreparada. Será publicada na proxima segunda feira, dia 27/06/2011. Se você quiser elaborar artigos com mais oui menos 500 a 600 palavras sobre tua experiencia como membro da Igreja, incluído todos os cargos. podme me enviar que publicarei com muito prazer. Acredito que uma das maneiras para amenizarmos nossos traumas herdados pelo mormonismo é justamente disseminar o que é realmente o mormonismo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. ernesto querido... depois procure entrar na comunidade exmormons'brasil no orkut e se comunica mais com todos nós!

    ResponderExcluir