Traduza para outra Lingua!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

EX-BISPO MÓRMON THE OLAFEC

Quero primeiramente dizer-lhes que compartilhar minhas experiências aqui faz parte de um processo em que eu estou inserido há pelo menos três anos, que é irreversível, mas que ainda não chegou ao fim. Eu conheci a igreja como a maioria das pessoas, através dos missionários. Eu era um jovem adolescente e me encantei com os missionários assim como toda a minha família. Nós nos batizamos rapidamente e a nossa vida mudou. Muitos amigos, igreja aos domingos, atividades, seminário, metas, planos, promessas, esperança... Enfim, o vazio que sentíamos estava preenchido. Fui crescendo na igreja até servir uma missão de tempo integral. Lá comecei a conhecer realmente a igreja, como ela é por dentro e como ela pensa de fato. Questionei muitas coisas, me decepcionei com outras, mas eu estava condicionado a pensar que se houvesse algo errado isso estaria em mim e não na igreja. Então me calei e me sujeitei. 

Após longos dois anos a missão terminou e eu já não era mais o mesmo. Vi coisas absurdas, desprezíveis, horríveis. Vi muito orgulho e pouca caridade, vi uma grande pressão para batizar a qualquer custo, é uma competição e ninguém quer perder ou ficar “queimado na missão por que batiza pouco”. O meu presidente no meu segundo mês me disse em uma entrevista que iria me transformar em uma máquina de batizar, que eu tinha muitos talentos e que ninguém na missão iria me vencer. 
Eu fiquei espantado e confuso com aquilo, mas eu ia me aconselhar com quem? Vi missionário gay terminando com honras, outros que namoravam, americanos com privilégios, outros que inventavam números para serem bem vistos pelos demais, e usávamos técnicas de convencimento que estavam longe de ser pelo espírito santo. Eram mesmo técnicas de manipulação. 
Ainda acreditando na veracidade da igreja apesar de tudo, após a missão tive vários cargos nas alas e também na estaca. Até que me casei e fui selado a minha esposa no templo de São Paulo e fui designado para servir como Bispo da igreja, chamado que desempenhei pelo tempo de quatro anos. Até aquele momento eu achava que já tinha visto tudo de ruim que existia na igreja enquanto estava na missão, mas como bispo... 
Ao completar quatro anos pedi desobrigação e fui embora antes de enlouquecer. Eu pensava que como bispo eu iria ajudar meu próximo espiritual e materialmente, que seria um conselheiro para as pessoas, que eu faria caridade, faria a obra do Senhor, que eu poderia crescer na fé e no testemunho servindo, porque o maior é o que serve e eu estava ali pronto para servir. Mas aí descobri que bispo na igreja é mais ou menos como um gerente para uma empresa/loja. E em pouco tempo eu estava atolado na papelada e era só relatório disso, lista daquilo, reuniões, serões, conferencias, treinamentos, entrevistas (entrevista de jovens para o acampamento, entrevista de membros para chamados, entrevista para recomendação para o templo, entrevista de criança que vai avançar para ORM, entrevista de acerto anual de dizimo com todos os membros da ala duas vezes por ano etc.) participar das aberrações que são os concelhos disciplinares. 
É tudo de caráter secular nada espiritual. E isso consumia todo o meu tempo, inclusive o tempo com a minha família era reduzido, estava sempre de cabeça cheia por causa de um relatório, uma reunião, e pelas cobranças e ameaças espirituais que sofria dos líderes da estaca e da área. 
Sempre tinha algo que o novo presidente de área dizia para fazer diferente do que dizia o presidente anterior. Porque existe esse negocio que parece que é para nos fazer de idiotas: um presidente de área vem e diz para fazermos algo de tal maneira, que todos temos que nos adequar, aí dá aquele trabalhão fazer as modificações. Então, ele vai embora e vem o novo presidente e diz para desfazer tudo que não estamos fazendo a maneira do Senhor, está tudo errado. E assim é que eu passava grande parte do tempo, tentando entender em que pé estava: se na maneira do Senhor nova ou na antiga. 
Enfim, me cansei dessa confusão e me retirei. Só então, comecei a estudar e pesquisar qual seria o problema da igreja. 
Hoje eu entendo que o principal problema. É que ela não é verdadeira e que não é nem igreja e sim, uma seita como outra qualquer. 
Sei que a Igreja de Jesus Cristo Sud, esconde a verdade e vive uma grande mentira. Enganando, manipulando, controlando a vida de seus membros com suas ameaças espirituais. 
Ex-Mórmon - TheOlafec 
Publicado a partir de:Fonte:
http://exmormon-theolafec.blogspot.com/2011/05/o-comeco-do-fim-no-mormonismo_27.html?spref=bl

4 comentários:

  1. Ernesto Che (ex presidente de estaca)21 de julho de 2011 22:01:00 BRT

    Olá meu caro, parabéns! Tenho certeza de que jamais passou pela sua cabeça que estarias em um computador expondo sua experiência frustrada no mormonismo.

    Muito menos eu! Os membros fervorosos da igreja pensam que nos deleitamos por escrever o q conhecemos sobre a igreja, no entanto, creio eu que sentimos é um dever muito profundo em mostrar como as coisas realmene são. Na época em que vivemos cuja a informação atravessa continentes em instantes podemos dizer que participamos de uma geração privilegiada... O que eu penso é que cada vez mais claramente o conhecimento de uma forma geral é o libertador da alma.

    Ditados populares como: a verdade é nua e crua; nem tudo o que reluz é ouro nunca foram tão bem aplicados a questões religiosas. E ao se falar de mormonismo então...

    Raul Seixas disse: "pena eu não ser burro, assim não sofria tanto". E o mormonismo nos colocava em uma situação confortável, de não questionamento, pois tudo estava pronto, era só seguir as regras...

    Só que; chegou o momento em que como qualquer homem que quer estudar, pesquisar, conhecer o que se acredita e nada mais justo do que se conhecer a religião que se defende, não achas? Este é a primeira regra para frequentar a igreja para sempre: Jamais questionar!

    Como pode ser um lugar que lhe proíbe de se quer conhecê´lo?

    Na verdade fomos um dia, vítima de um sistema maléfico e altamente destrutível e graças a nossa capacidade de questionamento hoje podemos desfrutar de um bem estar emocional inigualável que somente os homens que possuem a coragem para questionar podem desfrutar.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo marco alcançado. Existem "n" comentários sobre os mórmons e tenho certeza que você logo chegará a triplicar e quadriplicar essa marca.
    Muitos membros e pesquisadores do mormonismo acessam diariamente seu blog. O mesmo elucida dúvidas e esclarece verdades ocultas pelos mórmons, sugerindo que as pessoas que estão dentro dele (mormonismo) reflitam sua permanência e os que estão de fora dele (mormonismo) não cometam o erro de entrar para uma religião falsa e depois venham amargurar. Vale muito sua experiência e relatos (todos verídicos!).

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários amigos! Vocês ajudm muito e esse pequeno marco de 10 mil acessos deve-se a vocês tambem que contribuem com comentários eniquecedores. continuaremos mostrando de fato, o que é o mormonismo. Como é a doutrina, como são tratados os membros. Espero que muitos possam refletir após uma leitura mais cuidadosa do conteúdo postado aqui.

    ResponderExcluir
  4. Juliana
    ..............................................................................................


    '


    parabens por esse otimo blog1 com certeza esse blog é inspirado pelo espirito santo e revela verdades'podres qui durante muitos anos os mormons tentaram esconder!
    '
    a igreja'mormon retira de seus adeptos o livre arbitrio, sem seus adeptos perceber, mas esse blog é mais um meio pra os mormons começar o exercicio do livre arbitrio!

    ResponderExcluir