Traduza para outra Lingua!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

OS NUMEROS!

Hoje vou escrever sobre alguns truques que utilizamos para aumentar a frequência na Igreja Mórmon. Truques utilizados por mim, quando eu era bispo da Ala Curitibanos. Sob a orientação da Presidência da Estaca Lages fazíamos algumas “mágicas” para aumentarmos a frequência nas reuniões sacramentais. Afinal, cada cabeça de um humano, naquela reunião, significava alguns reais a mais no orçamento da Ala. A maioria dos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias não sabe, mas quando eles faltam nas reuniões sacramentais, é possível que acabem dando algum prejuízo para o orçamento da sua unidade. Se os relatórios forem fiéis isso acontecerá certamente. Mas se forem mascarados... Não posso afirmar que essa falta, seja revertida em prejuízo para o orçamento da Ala.
Uma vez criamos um grupo da igreja, numa cidade próxima de Curitibanos. Na cidade de São Cristovão do Sul, distante 25 quilômetros. Fazíamos a nossa reunião sacramental na capela em Curitibanos, pela manhã e à tarde, convocávamos os membros para irem para a reunião da cidade de São Cristovão do Sul.  Por orientação da presidência da Estaca, somávamos as duas frequências, mesmo que a mesma pessoa estivesse presente nas duas reuniões. Era contada como duas. A reunião era considerada uma, mas o membro se estivesse presente nas duas reuniões era considerado duas pessoas distintas. Mais tarde, esse grupo se transformou num pequeno Ramo que não vingou. Passados alguns poucos anos fecharam esse Ramo São Cristovão do Sul. Não tinha liderança naquela cidade. Tinha muita fofoca, intriga e desunião no meio dos poucos membros que frequentavam essa pequena unidade. Batizaram muitas pessoas. Na maioria, pobres, ignorantes e que mal sabiam ler. É verdade que tinha ali, no meio dos membros do Ramo São Cristovão do Sul, muitos analfabetos.
Outro truque utilizado era a divisão de uma unidade em duas. Tentando fortalecê-las e posteriormente juntá-las novamente, numa única unidade mais forte no futuro. Isso aconteceu aqui em Curitibanos! Fizemos isso, não com o intuito de juntarmos as duas unidades em uma forte, mas de conservarmos as duas unidades e dividi-las em quatro. Primeiramente dividimos a Ala Curitibanos em duas unidades. Ala Curitibanos e Ala Pinho! Devido à “inspiração dos dois bispos” opa, quero dizer, a “falta de inspiração”, as duas Alas quase fecharam. Não fecharam porque me chamaram novamente para o bispado, na ocasião da união das duas unidades. Não que eu queira ser o salvador da igreja aqui em Curitibanos. Esses bispos eram horríveis na maneira de administrar as suas unidades.
Não vou entrar nos detalhes dos desmandos dos dois ex-bispos. O assunto hoje são os truques para aumentar a frequência na Igreja.
Certa vez, contratei uma Kombi para transportar os membros que moravam em lugares mais distantes. No final, deu briga novamente! No meio do mormonismo, os membros da igreja, sempre acabam brigando por besteira. Começaram brigando com o motorista, e por fim, brigaram entre eles mesmos. Uns membros queriam que a Kombi começasse a percorrer um determinado bairro. Outros queriam que a Kombi começasse o percurso por outro bairro. Isso foi ruim para o crescimento da Ala. Teve alguns membros que se afastaram quando eu cortei o transporte gratuito.
Outra maneira que a presidência da Estaca nos orientava, para alcançarmos números mais elevados nos relatórios era não lançar a média das frequências mensais no relatório mensal. O presidente da Estaca me mandava colocar a maior frequência da reunião sacramental ocorrida do mês. Isso “mascarava” a frequência real. Há uma diferença entre média e maior.
Teve um membro da Ala Curitibanos, que comentou recentemente neste blog sobre a reforma da Capela, que ocorreu após a minha saída do bispado e consequentemente, após a minha saída do mormonismo. Gostaria de dizer aqui, que os requisitos para a reforma e ampliação da capela da Ala Curitibanos sempre foram: dizimistas integrais e um certo numero de frequência, imposto como meta nas reuniões sacramentais da Ala.
Havia um pequeno grupo de pessoas, membros do mormonismo, desamparadas, numa cidade distante 110 quilômetros de Curitibanos e 80 quilômetros de Blumenau. O nome da cidade é Rio do Sul! Teoricamente, a área geográfica dessa cidade deveria pertencer para Blumenau. Está situada mais próxima dessa cidade, que pertence à Estaca Vale do Itajaí. Mas, por um conchavo entre o presidente da Missão Brasil Florianópolis e os Presidentes das Estacas Vale do Itajaí e Lages, a unidade ficou sob a responsabilidade dos membros da cidade de Curitibanos. Lá foram os tolos membros curitibanenses novamente, atendendo a solicitação “inspirada” do Presidente da Estaca Lages.
Alguns tinham que se deslocar de Curitibanos até a cidade de Rio do Sul, no domingo, fazendo 220 quilômetros ida e volta para dar a assistência a esse grupo de membros que se reuniam numa casa alugada. A missão Brasil Florianópolis designou dois missionários para Rio do Sul.
Antes de eu cair fora do mormonismo, a presidência da Estaca Lages tentou me convencer a cuidar desses membros. Só que não falaram no desgaste do meu carro, gasolina e o perigo de estar viajando cotidianamente, nos domingos, na movimentada BR-470 que corta o Estado de Santa Catarina no sentido leste-oeste. Depois que eu recusei essa missão “inspirada”, soube que andaram somando as frequências das duas reuniões sacramentais, tal como fazíamos com São Cristovão do Sul. Não foi difícil atingir as metas impostas para a concretização do aumento da Capela.  Essa reforma se deu graças a truques desonestos na computação das anotações das frequências. Não há nada de que se orgulharem nisso. Um membro da Ala Curitibanos que fez missão em Campinas, São Paulo vivia dizendo que “seu presidente de missão recomendava que se errassem nos números de qualquer freqüência, que deveriam errar para Cristo”, ou seja, para mais. Esse presidente de missão deveria ser um legítimo “picareta”. Desonesto até na frente dos seus missionários.
Esses foram algumas “maracutaias” para obtermos frequências “mascaradas”. Viva o mormonismo! Viva a honestidade!

Esta página da web não tem direitos autorais! Foi escrita por Antonio Carlos Popinhaki. Sinta-se livre para usá-la sem fins lucrativos: Somente peço o referenciamento onde for publicada e enviar-me um e-mail para popivhak@gmail.com - Ao comentar, mesmo que de forma Anônima, devido talvez, você não possuir contas do Google/Wordpress, por favor, coloque um nome ou iniciais, para uma breve identificação.

15 comentários:

  1. (Via email)

    O problema mais serio que vejo dentro do mormonismo e a falta de administracao. Pegam qualquer pessoa pra ser lider e acaba nisso. Thomas S. Monson e as autoridades maiores se preocupam com os numeros e os membros que se vire, que facam milagres pra conseguir atingir essa meta. Eles mandam as leis e os mais baixos tem que obedecer. Observo ha anos a igreja que meus pais seguem. E uma igreja antiga na minha cidade e no Brasil, os anos passam e os membros continuam firmes, dia de domingo a igreja esta sempre cheia mesmo eles nao fazendo muito esforco pra atingir tal meta. Ha mais ou menos tres anos o anciao (e assim que eles chamam os lideres superiores) se negou ir de casa em casa fazer o culto. Ele disse que quem quiser e tiver fe que va pra igreja no domingo, e que era muito trabalhopra os irmaos que sao casados, tem filhos, e trabalham fora ter que ta indo na casa das pessoas e tentar convence-las a ir pra igreja. Mesmo com essa regra so tem aumentado o numero de fieis. Diferente da igreja mormon que alem de tomar toda a semana com reunioes, treinamentos e atividades, ainda dia de domingo toma tempo dos membros com as reunioes sacramentais, aulas dominicais que ja passou da hora de ser extintas, seroes e pra piorar apos o famoso "frango com macarronada", la pras 4,5 da tarde TEM MAIS REUNIAO. Os proprios membros nao aguentam tamanha exigencia, e so compromisso e assiduidade. E de acabar com qualquer um. Eu lembro quando era membro daquelas bem fieis minha mae morria de raiva. Eu trabalhava e a noite ainda ia pra capela, era convite de missionarios pra ajudar os pesquisadores se sentir confortaveis nas atividades (geralmente era nas quinta feiras), era reuniao de lideranca, no sabado reuniao de treinamneto, mais atividades. Domingo nem se fale. Teve uma epoca que eu passava mais tempo na igreja do que trabalhando ou com minha familia. Como eu era um membro fiel o bispo, eu sei nao era culpa dele, chegou a me dar quatro encargos de uma vez so. Foi um peso pra mim. Eu era professora do principios do evangelho, missionaria de Ala, responsavel pela genealogia, e ainda primeira conselheira da soc. soc. Os membros me procuravam pra tudo, era pra ajudar na genealogia, os missionarios pra ser amiga da nova familia que eles estavam ensinando, enfim...Antonio, voce fala em alugar kombi, quem dera naquela epoca alguem tivesse uma ideia dessas, ia me ajudar tanto...Eu morava longe da capela, caminhando era mais de uma hora entao nao tinha jeito, dependia mesmo do "buzao." Os membros que tinham carro jamais me ofereceram carona, nunca me ofereceram um almoco na casa deles mesmo sabendo que ia ter que ir pra minha casa so pra almocar e retornar pra mais reunioes. Dia de sabado ia todo meu dinheiro em passagem de onibus e reunioes na Sede da Estaca. Hoje vejo que mesmo ganhando razoavelmente bem eu jamais teria condicoes de comprar um carro qualquer, sendo mormon e impossivel economizar. Alem de todo dinheiro com passagem de onibus cansei de ajudar a comprar fantasias pra festa, atividades, comprava brinquedos pra as festas juninas da Ala, amigo secreto no natal (tinha muitos membros que queriam participar mas nao tinha dinheiro).

    ResponderExcluir
  2. Continuando...

    Uma vez lembro que levei um peru enorme, gente eu paguei tao caro naquele peru pra ser assado mas meu onibus demorou tanto que cheguei atrasada pra preparacao do almoco. Nao assaram o peru, mas o bicho "criou asas" e ate hoje nao sei que levou a ave pra comer em casa. Quando sobrava comida mesmo eu sendo a primeira conselheira da soc.soc. nao via nem o cheiro, as irmas mais "espertas" se uniam em volta do resto de comida pior que urubu em cima da carnica, era ridiculo o comportamento da maioria delas. As mais "educadas" era sempre o mesmo papo. Que o filho foi servir missao fora do Brasil, que a filha casou com americano e se deu bem, que tal pessoa tinha retornado da Europa, que pagou mais de 300 dolares numa calca. Era horrivel, eu sempre ficava por fora do assunto e mesmo hoje eu estando numa situacao financeira bem melhor que antes, odeio esses tipos de comentarios que em nada contribui. Quem defende o "profeta" e os lideres mais altos dessa igreja e porque nao quer contestar, tem medo de descobrir a farsa e que foi enganado por anos e anos, entao preferem ficar na ignorancia do que abrir os olhos. Os fatos falam por si mesmo, quem nunca passou pelo que eu passei nao foi mormon de verdade.

    ResponderExcluir
  3. (Via facebook)

    Sérgio Mota

    Os números são forjados. Tudo nessa igreja é de mentira!

    ResponderExcluir
  4. Falando realmente de números-
    ---------------------------
    http://www.revolvermaps.com/?target=enlarge&i=2LFBr6m3gg9&color=ff0000&m=7&ref=http%3A%2F%2Fmurilovisck.blogspot.com%2F2011%2F01%2Fretrospectiva-2010-igreja-de-jesus.html
    -----------------------------

    Este link acima é o mapa de visualizações de um blog de notícias da Igreja.

    ------------------------------
    http://www.revolvermaps.com/?target=enlarge&i=7aq25wd7xtq&color=ffc000&m=0&ref=http%3A%2F%2Fsobreomormonismo.blogspot.com%2F2011%2F10%2Ftestemunho-por-testemunho.html
    ------------------------------

    E este é o mapa de visualizações deste Blog




    Agora compare... Será que um dia este Blog terá chance de possuir a mesma coisa algum dia?
    As pessoas procuram e leem coisas edificantes e não que o desprezam. Tudo aqui é fruto de pessoas que saíram da igreja, é tudo uma concepção pessoal do autor deste blog, importando com as experiências dele na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sendo elas boas ou ruins... Seria de bom grado se existisse alguém aqui que não fosse ex-mórmons que escrevesse algo de ruim. Não existe! Já observaram que esses tópicos são todos relacionados a passagens por experiências das pessoas que hoje são ex-mórmons? Por que não debatam algo realmente sobre o evangelho e não pelas experiências que tiveram?

    ResponderExcluir
  5. Que tal debartermos sobre a bússula chamada Liahona, as espadas e os metais, incluindo as moedas dos nefitas, o monte cumorah, o peso das placas de ouro, a poligamia, a poliandria, a pedofilia, os rituais maçônicos copiados por Joseph Smith e introduzidos nos templos, os submarinos dos jareditas, as sinagogas nefitas, o egipcio reformado, a tradução do livro de Abraão? Esses são temas sensacionais para um debate. Só que não há como nenhum memmbro da igreja convencer o mundo sobre a veracidade ou acontecimentos reais desses assuntos. Que pena que não há provas...

    ResponderExcluir
  6. zoccarato@mapmix.com.br

    Nossa vocês eram uma quadrilha mesmo hen? ainda bem que se desligou.

    Daí apouco vocês iriam seguestrar e etc,,,

    ResponderExcluir
  7. Uma das regras de fé dos mórmons diz que são honestos e pessoas de boa índole. O que vemos na igreja mórmon são constantes desonestidades em todas as áreas, mas a realidade mostra que a igreja é desonesta, forjando números e vemos as capelas e templos vazios, mostrando que tudo é mentira e manipulado.
    O seu blog é esclarecedor e esse comentário desse sr. Zoccarato (desconheço quem seja, se é algum mórmon fanático) é infeliz em todos os comentários, apenas julgando e se colocando como dono da verdade,
    Você fez bem em cair fora dessa enganação e trabalhar de graça para os mórmons, que sempre tem o objetivo de explorar e aproveitar de todas as pessoas, síntese de política norte americana, de exploração ao terceiro mundo.
    Só que os brasileiros tem agora acesso à internet para espanto dos mórmons e das demais religiões exploradoras, as pessoas estão adquirindo conhecimento, buscando respostas que a igreja sempre escondeu e se esquivou em fornecer aos seus membros.
    Respostas do passado horripilante: poligamia, poliandria, pedofilia, racismo, rituais maçonicos, etc Quem finge concordar com essas mentiras e enganos torna-se cumplice e conivente desses erros, daí adeus à honestidade e coerência.

    ResponderExcluir
  8. "Hoje vou escrever sobre alguns truques que utilizamos para aumentar a frequência na Igreja Mórmon. Truques utilizados por mim, quando eu era bispo da Ala Curitibanos. Sob a orientação da Presidência da Estaca Lages fazíamos algumas “mágicas” para aumentarmos a frequência nas reuniões sacramentais. Afinal, cada cabeça de um humano, naquela reunião, significava alguns reais a mais no orçamento da Ala. A maioria dos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias não sabe, mas quando eles faltam nas reuniões sacramentais, é possível que acabem dando algum prejuízo para o orçamento da sua unidade. Se os relatórios forem fiéis isso acontecerá certamente. Mas se forem mascarados... Não posso afirmar que essa falta, seja revertida em prejuízo para o orçamento da Ala."

    Não sei qual a moral que você pode dar as autoridades da Igreja, e ainda disse que era correto nas coisas quando era bispo, sua mascara está caindo por você mesmo.

    "zoccarato@mapmix.com.br

    Nossa vocês eram uma quadrilha mesmo hen? ainda bem que se desligou.

    Daí apouco vocês iriam seguestrar e etc,,,"

    Ele(a) está certo, vocês são uma quadrilha, dá pra entender por que saiu da Igreja e fica acusando as autoridades que esbanajarem o dinheiro dela, não deixaram você fazerem isto, não é?

    Paulo César
    rh.paulocesar@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. "Antonio Carlos Popinhaki disse...
    Que tal debartermos sobre a bússula chamada Liahona, as espadas e os metais, incluindo as moedas dos nefitas, o monte cumorah, o peso das placas de ouro, a poligamia, a poliandria, a pedofilia, os rituais maçônicos copiados por Joseph Smith e introduzidos nos templos, os submarinos dos jareditas, as sinagogas nefitas, o egipcio reformado, a tradução do livro de Abraão? Esses são temas sensacionais para um debate. Só que não há como nenhum memmbro da igreja convencer o mundo sobre a veracidade ou acontecimentos reais desses assuntos. Que pena que não há provas...

    6 de outubro de 2011 17:09"

    Por que será que você não rebate nem publica meus comentários, não tem argumentos, é?

    ResponderExcluir
  10. Finalmente postou... Agora vamos debater. O que quer saber sobre a Liahona?

    ResponderExcluir
  11. MEus queridos irmaos e amigos aqui neste mural deste blog..quantas vezes voces perguntaram para O Senhor se voces estão certos.
    Olha eu nao tenho muito tempo aqui hoje mas gostaria que soubessem que voces estao buscando sua condenação agindo desta maneira. Estou aqui para ser uma testemunha do Deus vivo todo poderoso que voces estao sendo totalmente enganados por Satanas voces nao sabem oque estão dizendo...apesar da sua experiencia nao aprenderam nada sobre este evangelho....

    vou voltar aqui para postar mais....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste, ver como a perca da luz afasta qualquer pessoa do caminho correto sendo levado como uma criança, sendo manipulada, não tendo qualquer vestígio de personalidade em sua vida, porque eles se baseiam no que os outros falam, não tendo opinião própria sobre o assunto!
      Sou Mórmon, Sou feliz...

      Excluir
    2. Quem se baseia no que os outros falam, não tendo opinião própria sobre o assunto, são os membros da Igreja SUD. Ou vai me dizer que tomar café é pecado?

      Excluir
  12. bornal!

    Quem sabe poderiamos debater sobre o evangelho Mórmon?

    ResponderExcluir
  13. Passar números falsos na ala ou na missão é muito comum, seria muita cara de pau alguém falar que ñ acontece

    ResponderExcluir