Traduza para outra Lingua!

terça-feira, 21 de junho de 2011

O QUE APRENDE UM PROFESSOR SUD?


Quando eu era membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias, atuei por diversas vezes como professor de várias classes. Desde meus primeiros dias na Igreja, fui professor da Escola Dominical. Lá, dei aulas nas classes de membros novos, doutrina do evangelho, preparação para o templo e outras. Também como Presidente do Quórum de Élderes e do Grupo de Sumo-Sacerdotes, sempre dei treinamentos e aulas.
Mas um chamado de professor, que me ensinou muito, foi sem dúvida, o de professor do Instituto de Religião da Igreja. Permaneci nesta função por sete anos ininterruptos. Enquanto eu estava ministrando as aulas, ia aprendendo, através de uma leitura das escrituras mais empenhada do que o normal. Essa prática, fez com que eu lesse a Bíblia, o Livro de Mórmon e Doutrina & Convênios, literalmente, “de capa a capa”.
Ao ler todas aquelas histórias descritas no livro de Mórmon, despertei e comecei a racionalizar. Cada vez que tínhamos que estudar o Livro e Mórmon, percebia que as imagens e ilustrações relacionadas ao conteúdo do curso, nos Manuais da Igreja, eram de civilizações Incas, Maias e Astecas. Não tinha nada evidenciado que datasse do período anterior dessas civilizações. Então comecei a perceber que deveria ter uma falha. Onde estava alguma evidência de que o conteúdo do livro de Mórmon era realmente a verdade, conforme as palavras de Joseph Smith Jr.?
 “Eu disse aos irmãos que o Livro de Mórmon era o mais correto de todos os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião; e que seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que seguindo os de qualquer outro livro”. Essas são as palavras do fundador do mormonismo, encontram-se na “Introdução” do Livro de Mórmon.
Quais preceitos seriam esses que Joseph Smith estava se referindo? O Livro de Mórmon é repleto de guerras e derramamento de sangue. Ele também é contra a poligamia. Preceito esse, desobedecido pelo próprio Joseph Smith Jr. Então, como é que uma pessoa que lê e estuda esse livro pode se aproximar mais de Deus, do que se lesse ou estudasse qualquer outro livro?
Aprendi uma coisa que, tenho certeza, os líderes Mórmons já devem ter percebido. Quanto mais você lê o livro de Mórmon, mais esperto você fica e mais racionaliza. Você começa logo a desconfiar da obra. Isso, se você realmente quer aprender. Não somente ler por ler. Conheço pessoas que lêem e lêem constantemente o Livro de Mórmon. Mas não sabem nada do que leram. Infelizmente, são analfabetos funcionais.
Comigo foi diferente. Como professor do Instituto, leitor assíduo das escrituras, eu não podia, simplesmente, aceitar tudo o que estavam me empurrando nos Manuais da Igreja, como “verdade absoluta”. Como disse, começava ai, minhas desconfianças de que deveria ter um erro, uma falha na Igreja.
Só vou dar um exemplo: O livro mais correto de toda a terra citava uma bússola. Todos sabem que a bússola foi descoberta pelos chineses cerca de 2000 a.C. e que somente na idade média, os Europeus tiveram contato com esse instrumento de orientação magnética.
Em Alma 37:38, 43 diz E agora, meu filho, tenho algo a dizer a respeito daquilo que nossos pais chamam de esfera ou guia—ou que nossos pais chamaram de  Liahona, que é, por interpretação, uma bússola; e o Senhor preparou-a.  (...) E agora, meu filho, eu desejaria que compreendesses que essas coisas não deixam de possuir um simbolismo; pois como nossos pais foram negligentes em prestar atenção a essa bússola (ora, essas coisas eram materiais), não prosperaram; o mesmo se dá com as coisas espirituais”. Isso foi apenas um dos muitos exemplos polêmicos, que despertaram em mim desconfianças.
Quando eu já tinha lido e estudado todas as escrituras, marcado, pintado, sublinhado e referenciado minha Bíblia, meu livro de Mórmon e Doutrina & Convênios, tinha me convencido das muitas falhas e erros grotescos do mormonismo. Então era chegado o momento de cair fora. Adeus mormonismo!
Por hoje, levantei somente o caso da bússola. Mas com o passar dos tempos, mostrarei muitos outros assuntos embaraçosos para os líderes da IJCSUD explicarem. Simplesmente, porque ainda não estou satisfeitos com as explicações que deram.



  
Referencias:
O Livro de Mórmon

11 comentários:

  1. Antonio Carlos: acredito que a prova maior de tudo o que se fala nesse blog e em outros blogs é a aquela que mostra dentro das citações mórmons (manuais, diários, sites oficiais da igreja, revistas SUDs, etc...)os fatos citados. Encontrei hoje a seguinte VERDADE: o site www.familysearch.org mostra claramente que Joseph Smith casou-se com várias mulheres: ( http://www.familysearch.org/Eng/Search/AF/individual_record.asp?recid=7762167)
    Isso é um fato incontestável. Não tem como ninguém negar, nem os mórmons nem quem pesquisa ou questiona a igreja, está lá na página oficial da igreja para quem quiser ver.
    Sobre os professores da igreja, pelas experiências que você passou como professor dá para notar que você tirou proveito no sentido de questionar e sempre colocar o "por que" das coisas, não só aceitar as coisas "mastigadas" e já prontas que vinham nos manuais, tipo "fast food" para digerir sem questionar nada.
    O bom professor sempre está aprendendo e questionando, sempre deixando os alunos com uma interrogação e nunca finaliza com coisas prontas e enlatadas dos manuais.

    ResponderExcluir
  2. Edson!
    Em breve farei postagens sobre a poligamia praticado por Joseph Smith Jr. e seus seguidores. Mostrarei que de certa forma, a igreja ainda pratica poligamia nos templos. Quando homens podem ser selados a varias mulheres. Mostrarei sobre essa prática e suas consequencias. As consequencias inclusive, encontradas em nossos dias, em território do Estado de Utah. Quando ainda, muitas facções do mormonismo praticam a poligamia.

    ResponderExcluir
  3. Ernesto Che (exp presidente de estaca)21 de junho de 2011 21:45:00 BRT

    Quando entro nas salas de bate papo e digo q conheço o mormonismo mais do q muitos imaginam, todos duvidam. Mas foram nada mais,nada menos do que 30 anos. Também fui professor do seminário e do instituto. Quando começamos a nos dar conta dos absurdos que acreditamos nos perguntamos:
    Como eu pude acreditar em uma coisas dessas? É notório q em nossos dias as informações tendem a correr mais e mais rápidas a cada dia. Estou disposto até as últimas consequencias em divulgar todos os absurdos pregados pela igreja SUD. Percebo q aos poucos estas informações começam a se estender. Podem até não acreditarem mas com certeza a semente da dúvida é plantada. A Igreja já não cresce há muito tempo. Basta ver o índice de retenção de batismos. Bispos sendo chamados com poucos anos de igreja, membros antigos saindo insatisfeitos da igreja...

    Quando ainda era presidente de estaca uma ajuda de custo era dada aos professores do seminário e do instituto, uma esmola é claro, para ajudar com sapatos, ônibus, etc. Mas foi tirada e então me perguntei:

    Mas porque se são eles que levam o sistema educacional nas costas? E os coordenadores? O q faziam para justificar o salário recebido?

    E por aí vai...

    Uma boa maneira de começar um debate com um mormon é começar questionando-o, ele jamais terá as respostas coerentes e sempre dirá:
    Os homems são falhos, mas a igreja não!

    É duro ter que ouvir estas coisas, doi os meus ouvidos...rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  4. Ernesto Che (Ex Presidente de Estaca)!

    Gostaria de dizer-lhe que ficaria muito feliz em publicar vossos relatos sobre o mormonismo. Qualquer assunto que queira compartilhar de vossa longa jornada de mormonismo. Os horrores, os absurdos, as estravagâncias, qualquer assunto. Poderá fazer um texto de mais ou menos 500 a 600 palavras e me enviar por email, que postarei com muito prazer no blog.

    popivhak@gmail.com

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. engraçado a presunção da pessoa, diz ter tanto conhecimento e ignora o básico da religião q é fé e n evidência, estudou estudou e n aprendeu nada kkkkkk duvido muito q tenhas tido algum emprego formal no instituto kkkkkk

      Excluir
    2. outra coisa vc é um covarde q tem medo de publicar mensagens nesse pseudo blog

      Excluir
  5. Queridos amigos desse blog:

    Eu ia comentar sobre esse post, mas eu gostaria de levantar uma outra pergunta:

    - Se vocês não crêem mais na Igreja, e talvez nem mais em Deus, no que vocês acreditam?

    Fiquei curioso para saber isso.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Antonio!

    Permita-me fazer dois comentários:

    1 - Na sua pergunta sobre os princípios do Livro de Mórmon que aproximariam o homem de Deus mais do que qualquer outro livro:
    "Quais preceitos seriam esses que Joseph Smith estava se referindo? O Livro de Mórmon é repleto de guerras e derramamento de sangue."

    Eu me lembro da história dos ânti-néfi-leítas, que foram atacados pelos lamanitas (Alma 24). Por terem feito convênio com Deus de nunca mais pegarem em armas, ao verem os lamanitas caindo sobre eles, apenas se curvaram e se deixaram matar, pois tinham prometido que "antes de derramar o sangue de seus irmãos, sacrificariam a própria vida; de que, ao invés de tirar de um irmão, lhe dariam".

    Eu não sou um leitor assíduo da Bíblia como você foi (ou ainda é), mas não me lembro de lá haver uma história que ensina tanto sobre amor abnegado e resignação como esta!

    Se hoje o ser humano fosse um pouco mais parecido com os ânti-néfi-leítas, não seríamos mais próximos de Deus?

    ResponderExcluir
  7. (continuação)

    2 - "O Livro de Mórmon é repleto de guerras e derramamento de sangue. Ele também é contra a poligamia."

    Ei, Antonio... em Jacó 2 é explicado o princípio da poligamia, e as condições em que ela é aprovada por Deus. Você que já leu tanto as escrituras deve ter se esquecido deste trecho.

    O que eu entendo é que poligamia não é sinônimo de safadeza ou perversão. Embora eu admito que seria muito difícil para eu viver nesta condição, não a entendo como perversão.
    O que eu consigo ver é o seguinte:
    - Nas capelas há mais mulheres que homens;
    - No templo, sempre há mais mulheres que homens;
    - Nos bailes há mais mulheres que homens;
    - Nas suas aulas do Instituto, acredito que não era diferente;

    Então, a tendência é que no Reino Celestial, haverá mais mulheres que homens.

    Nestas condições, como o Senhor poderia conceder a bênção do casamento eterno para uma mulher sem consentir com o casamento plural?

    Atualmente, eu não conseguiria aceitar plenamente ter mais de uma esposa, mas a conta fecha e é perfeita se eu excluir meus sentimentos e limitações pessoais.

    ResponderExcluir
  8. Jonas Viotto!

    Muitos de nós continua cristão. Mas eu, particularmente fiquei muito desconfiado de todas as religiões que são movidas a dinheiro. Portanto, estudando o inicio do cristianismo, tenho fortes convicções de que tudo não passa de uma grande farsa.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Antonio!

    Eu pensava exatamente como você antes de conhecer a Igreja.

    Mas acredite em Cristo, e espere que algum dia, nesta vida ou em outra, você O encontrará! Na minha adolescência, a simples crença em um poder superior me manteve nos eixos nesta fase tão difícil. Não perca sua fé em uma força superior!

    Um abraço!

    ResponderExcluir